Com número recorde de participantes, estudo aponta também que 72% das companhias possuem diretoria de Diversidade & Inclusão

A Bloomberg anuncia o resultado do índice GEI (Bloomberg Gender-Equality Index) de 2022. 418 empresas participaram do GEI em 45 países e regiões, somando um valor de mercado na ordem de 16 trilhões de dólares. Lançado em 2021, o índice GEI ajuda a trazer a transparência às práticas e políticas relacionadas à questão de gênero nas empresas de capital aberto no mundo todo, possibilitando melhor entendimento sobre os dados ESG (Environmental, Social and Governance) que ficarão disponíveis para os investidores.

Neste ano, o número de empresas participantes aumentou em 20% em relação ao ano passado. Elas divulgaram os dados para o índice GEI, por meio da estrutura GEI (Estrutura para divulgação de dados de gênero da Bloomberg). Isto demonstra uma maior consciência com a igualdade de gênero e o reconhecimento de que a comunidade empresarial global pode liderar as iniciativas de mudanças significativas, ao se comprometer com relatórios e a divulgação de dados sociais mais transparentes. 13 companhias brasileiras estão participando do GEI, são elas: Afya, Bradesco, BB Seguridade, Braskem, Comgás, Cosan, Eletrobras, Itau Unibanco, Odontoprev, GPA, Sul América, TIM e Telefônica Brasil.

Canecas Personalizadas

“As mudanças no trabalho devido à pandemia destacaram a importância de abordar questões de igualdade de gênero na força de trabalho global”, diz Peter T. Grauer, presidente da Bloomberg. “O índice Bloomberg Gender-Equality Index reconhece as empresas que concentram esforços para oferecer um ambiente de trabalho inclusivo que apoia as necessidades cada vez maiores dos funcionários. Também mantém os pontos fortes obtidos por meio da diversidade de gênero, que é cada vez mais crítica neste ambiente de negócios desafiador”.

A estrutura de divulgação GEI avalia as empresas em cinco pilares: liderança feminina e pipeline de talentos, igualdade salarial e paridade de remuneração entre gêneros, cultura inclusiva, políticas contra assédio sexual e marca pró-mulher. As empresas fornecem respostas para uma lista detalhada de perguntas sobre cada área. Há também áreas de informações solicitadas que apoiam o objetivo mais amplo de fornecer dados ESG mais robustos aos investidores. Por exemplo, os dados de divulgação do índice GEI agora contribuem com os dados EEO-1 da Bloomberg, que compreendem as informações demográficos de raça e etnia divulgados por empresas dos EUA como parte de seus requisitos de relatório para a EEOC (Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego em português).

Em termos de divulgação, a capacidade de medir, analisar e monitorar dados ao longo do tempo é essencial para as empresas que desenvolvem e implementam abordagens nas áreas de diversidade e inclusão. O relatório de insights do índice GEI 2022 (2022 GEI Insights Report) publicado hoje, descreve a amplitude e a profundidade dos dados incorporados no cálculo do índice GEI e ilustra o impacto que os esforços coordenados para a igualdade de gênero podem ter no local de trabalho. Os trabalhos em governança e cultura empresarial são alguns exemplos observados no índice GEI deste ano.

Redução de disparidades

Uma área de atuação dinâmica é o trabalho com a diversidade na diretoria e em todos os níveis da empresa. Em média, os membros dos conselhos do GEI são 31% mulheres e 72% das empresas associadas têm um Diretor de Diversidade ou um executivo com responsabilidade principal pela diversidade e inclusão. Essas empresas têm uma média de 39% de mulheres em cargos lucrativos e mais da metade (61%) exige uma lista de candidatos com diversidade de gênero para cargos de gestão.

“Os líderes empresariais de hoje têm a oportunidade de impulsionar o progresso na igualdade de gênero nos próximos anos”, disse Patricia Torres, diretora global de Soluções de Finanças Sustentáveis da Bloomberg. “A estrutura GEI ajuda as empresas a avaliar seu progresso em relação aos seus peers e em relação aos seus próprios objetivos. Por sua vez, os dados do índice GEI fornecem aos investidores um conjunto de dados abrangentes para ajudar a avaliar como as melhores práticas na área de igualdade de gênero estão contribuindo para o desempenho da empresa em vários fatores”.

Cultura inclusiva

Outra área-chave tem a ver com os processos de recrutamento, contratação e retenção nas empresas associadas. Em média, os membros do GEI contratam mais mulheres: 83% dessas empresas têm uma estratégia direta para contratar mulheres e 66% delas realizam análises abrangentes de remuneração por gênero. Essas empresas também são mais propensas a adotar políticas voltadas para a família: por exemplo, 75% das empresas associadas oferecem salas de lactação em suas instalações para novas mães e 59% delas oferecem subsídios para creches ou outras ajudas financeiras.

“Programas, políticas e práticas agora estão em jogo, mas a mudança duradoura vem da criação de uma cultura de igualdade onde todos sentem que pertencem — o acelerador da criação de valor 360˚ para todas as partes interessadas”, disse Julie Sweet, presidente e CEO da Accenture. “O GEI é uma ferramenta valiosa que destaca o progresso e as oportunidades de melhoria.”

Os dados do GEI deste ano mostram que as comunidades também se beneficiam de políticas de negócios inclusivos: mais da metade (63%) das empresas associadas patrocinam programas de educação financeira para mulheres e 65% patrocinam programas dedicados à educação de mulheres em STEM.

Acesse a lista de empresas incluídas no Bloomberg Gender-Equality Index 2022.

Matéria anteriorEstudo aponta que 86% dos negócios na América Latina possuem estratégia de sustentabilidade, mas apenas 37% a colocaram em prática
Próxima matériaUm dos maiores programas de voluntários do país abre inscrições

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − onze =