Agora é possível comprar terra virtual para conservação

A Nemus, uma fundação criada por empresários do setor de manejo sustentável na Amazônia, lança uma solução inédita para os problemas de desmatamento na região: são as NFTs para serviços ambientais, que nesta semana começaram a ser disponibilizadas ao público por meio da plataforma digital Nemus.Earth

A iniciativa, que contou com investimentos de cerca de US$ 4 milhões, integra o mundo real e o digital: “Cada NFT é representado por uma localização georreferenciada de terras na Amazônia, e o seu dono poderá acompanhar em tempo real todos os projetos de conservação e atividades economicamente sustentáveis”, explica Flávio de Meira Penna, um dos fundadores da Nemus e que conta mais de 10 anos de experiência trabalhando em atividades sustentáveis na Amazônia.

Canecas Personalizadas

Nesta primeira fase será oferecida a adoção da camada virtual de cerca de 8 mil hectares na região de Pauini, no estado do Amazonas, divididas em áreas de diferentes tamanhos, que variam de 1/4 de hectare a 81 hectares. Nos próximos meses serão ofertadas mais áreas, seguindo um calendário que totaliza quatro fases.

Ao todo, a Nemus já é proprietária de uma área de 41.000 hectares no estado e está em negociação para a compra de mais 2 milhões de hectares no cinturão mais ameaçado da Amazônia.

Qualquer pessoa, nacional ou estrangeiro, poderá adquirir NFTs. A área protegida permanece com a fundação, respeitando a legislação vigente. “A pessoa adquire uma área na camada virtual que corresponde exatamente à mesma área física. Ela não está comprando a terra, mas sim a promessa de preservação e o desenvolvimento de práticas sustentáveis, ajudando não só a desenvolver a região, mas criando empregos e melhorias econômicas para as comunidades locais, e ao mesmo tempo reduzindo o avanço do desmatamento ilegal na floresta”, explica Penna.

Como funciona

Por meio da plataforma da Nemus, o detentor do NFT poderá navegar pela área a que se refere seu NFT e detectar fauna e flora ou ameaças, monitorando e auditando a conservação da área. A Nemus está fechando diversas parcerias com algumas das principais comunidades ligadas ao metaverso e desenvolvendo formas únicas de integração do mundo real com o mundo virtual.

Para atingir estes objetivos de forma concreta, a Nemus está estabelecendo bases operacionais nas regiões dos NFTs, criando uma barreira protetora natural nas áreas mais ameaçadas da Amazônia. A Nemus atuará nas áreas de restauração florestal, extrativismo sustentável integrando in-loco o processamento dos produtos (copaíba, açaí, castanha, borracha, etc.), manejo sustentável de florestas, reflorestamento, criação de fundos de pesquisa, implantação de projetos energéticos e de comunicação em áreas remotas e, desta forma, garantindo que aquele trecho de floresta será conservado, pois a área não estará mais abandonada e sujeita ao desmatamento ilegal.

O objetivo também é criar um círculo virtuoso de sustentabilidade permanente pelo engajamento das comunidades locais na luta pela conservação da floresta por conta do desenvolvimento social local e a contratação formal, inclusive dos posseiros ilegais da região, que passarão a integrar e trabalhar em prol da conservação florestal.

Por meio de parcerias com diversos órgãos governamentais de fiscalização e pesquisa, a iniciativa prevê investimentos em infraestrutura, como sistemas de monitoramento e controle via satélite, drones, caminhonetes, aparelhos fotográficos detectores de animais, entre outros.

Também estão previstos investimentos em desenvolvimento social e infraestrutura dos vilarejos locais por meio da construção de clínicas e escolas comunitárias, centros de pesquisa, turismo ecológico e naturalmente a geração de empregos.

Os donos dos NFTs participarão do processo decisório das atividades a serem desenvolvidas nas áreas sob proteção da Nemus por meio do Nemus DAO (uma espécie de conselho formado pelos donos de NFTs), garantindo assim que os recursos disponíveis sejam usados como uma força para o bem; protegendo e conservando as florestas e criando valor para as comunidades locais e todo seu ecossistema.

Matéria anteriorEstudo aponta que Millennials são os mais preocupados com questões ambientais no país
Próxima matériaEmpresa se une a startups e Porto Alegre passa a contar com coleta de resíduos recicláveis em veículos elétricos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − 3 =