Ainda de acordo com o levantamento, o consumidor não opta por produtos verdes por conta dos preços

O estudo GfK Consumer Life 2021, mostra que os problemas relacionados às mudanças climáticas, aquecimento global e poluição estão entre as preocupações dos brasileiros, mas não entre os mais jovens. A pauta ambiental segue forte entre os Millennials, mas perde força na geração Z, e os consumidores gostariam de mais acesso a produtos verdes, mas se deparam com preços altos, optando, assim, pelos produtos tradicionais.

O levantamento indica que a população espera que as empresas assumam uma parcela maior de responsabilidade dentro do tema e que também seja feito um esforço educacional mais amplo.

Canecas Personalizadas

Felipe Mendes, diretor-geral da GfK para América Latina explica que no Brasil, há um interesse genuíno em preservar o meio ambiente, mas os consumidores nem sempre sabem quais ações podem tomar. “Isso impacta diretamente nas empresas que fornecem produtos verdes e contam com um trabalho efetivo de preservação do meio ambiente, afinal, se não há informação e se o custo não está dentro da realidade do consumidor, cai o engajamento desse setor.”

5 pontos que para serem pensados sobre a sustentabilidade

  1. Tornar as empresas mais responsáveis na agenda sustentável (83.2%)
  2. Melhorar a educação e informação de como ser mais sustentável (65.8%)
  3. Produtos e/ou serviços sustentáveis adequados para renda do brasileiro (51.4%)
  4. Melhorar a qualidade dos produtos sustentáveis (32.9%)
  5. Cobrar governo e órgãos públicos mais responsabilidade quanto às iniciativas ecológicas (32.8%)

O GfK Consumer Life 2021 chama atenção para o fato de que os Millennials – pessoas nascidas entre 1980 e 1997 – são os que mais se preocupam com as causas ambientais, com 49%, enquanto a geração Z – nascidos a partir de 1998 – soma apenas 26.1% da pesquisa.

“Este é um dado muito importante, já que é a geração Z que, possivelmente, sentirá mais impacto perante os problemas ambientais e se nós quisermos tornar a sociedade mais responsável e autossustentável, é necessário inserir o jovem nessa discussão, entender quais são suas preocupações, suas sugestões e como as organizações podem conversar com essas pessoas. Esse trabalho começa desde iniciativas em pequenas comunidades até em programas internacionais, fortalecendo a causa”, conclui Felipe Mendes.

As mudanças convivem junto com a necessidade de impulsionar a inovação em ações direcionadas, produtos e serviços ecologicamente sustentáveis, e é claro, a comunicação entre consumidor e empresa. Por mais que haja iniciativas que impulsionam transformações sustentáveis, ainda há longo caminho a ser percorrido.

Neste momento, a GfK se torna uma grande aliada das empresas para que continuem relevantes e por meio de inovação, desde que seja de maneira informada, estratégica e inteligente.

GfK Consumer Life é o estudo com mais experiência e cobertura geográfica, com informações anuais, levantadas desde 1997, em 31 mercados de todas as regiões: Ásia-Pacífico, América do Norte, Europa Central e América Latina. As informações desse estudo foram adquiridas em mais de 36.500 entrevistas realizadas globalmente em painéis online com usuários com mais de 15 anos.

Matéria anterior“Frete ESG” proporciona poder de compra mais sustentável aos clientes
Próxima matériaFundação criada por brasileiros, lança NFTs para conservação da Floresta Amazônica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

12 + três =