Programa inicia nova fase com 350 novos negócios da floresta impulsionados

O Inova Amazônia, programa do Sebrae voltado para fomentar a criação e desenvolvimento de novos negócios da floresta, anunciou o resultado dos editais que selecionaram as novas propostas que participarão da pré-aceleração. A iniciativa vai impulsionar, apoiar e desenvolver pequenos negócios, startups, empreendimentos e ideias inovadoras que tenham como premissa a conservação, a preservação ou o uso sustentável dos recursos da biodiversidade do bioma Amazônia. Nesse contexto, 350 negócios – 50 em cada um dos estados participantes (AC, AP, AM, MA, RO, RR e TO) – foram selecionados a partir de um universo de mais de 700 inscritos.

Os 350 projetos selecionados contemplam os mais diversos segmentos, com destaque para as áreas de cosméticos, alimentos e bebidas, fármacos e químicos, tecnologia e ecodesign. São negócios inovadores como a Mara Senses, do Maranhão, empresa que produz nanocosméticos por meio de encapsulamento de substâncias naturais hidratantes, como Aloe Vera, incorporação de nanopartículas de prata à base de polímeros naturais, como amido do mesocarpo de Babaçu, e óleos essenciais de ativos amazonenses. Como a proposta de um grupo de pesquisa da Universidade Federal do Acre, que visa desenvolver Biopesticidas e está propondo uma solução para combater o Aedes aegypti com princípio ativo de fungos isolados de solos amazônicos.

Canecas Personalizadas

A nova fase do Inova Amazônia faz parte dos esforços que o Sebrae vem desempenhando para alavancar negócios amazônicos, observa do analista de Inovação do Sebrae, Philippe Figueiredo. “Que a Amazônia é um reduto de diversos ativos naturais com grande potencial de inovação nós já sabemos. O objetivo é levar essas riquezas da floresta para o mundo, estimulando novos negócios com alto valor agregado, valorizando os produtos típicos da região e claro, sempre respeitando a biodiversidade, por meio de políticas de produção sustentável. O Inova Amazônia vai mostrar que é possível usar a inovação para a preservação da bioeconomia”, afirma.

Como funciona

Os projetos selecionados passarão por um período de pré-aceleração online com duração de dois meses. Depois, na fase de aceleração presencial, com duração de seis meses, os selecionados receberão uma intensa programação de conteúdos, mentorias, eventos de conexão com o mercado e investidores.

As propostas selecionadas para a fase de aceleração ainda receberão apoio financeiro com uma bolsa de estímulo à inovação, no valor de R$ 36 mil por sócio (limitada a dois sócios) para cada negócio apoiado. Dessa forma, cada empresa poderá ser apoiada com R$ 72 mil.

Para conhecer as empresas selecionadas, clique aqui.

 

 

Matéria anteriorAção “Reinvente o Início de Ano” arrecada doações para compra de material escolar para crianças em vulnerabilidade
Próxima matériaJovens Transformadores da Amazônia são reconhecidos pela Ashoka

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 − treze =