Pesquisa da IFS destaca a mentalidade reativa e a infraestrutura legada como barreiras à sustentabilidade e destaca o forte foco dos fabricantes na economia circular tanto nos EUA quanto na Europa

A IFS, empresa global de software de gestão empresarial em nuvem, anunciou que realizou uma pesquisa em parceria com a analista de tecnologia Omdia para entender melhor as opiniões das empresas de manufatura em todo o mundo sobre sustentabilidade e economia circular. A pesquisa entrevistou uma ampla gama de pessoas que trabalham para fabricantes na América do Norte e na Europa (todos empregados na diretoria, C-level ou superior).

O material é oportuna dada a atual aceleração das mudanças climáticas e a necessidade de conter o impacto da manufatura no meio ambiente por meio da redução de emissões e redução do consumo de energia industrial. A interrupção promovida pela pandemia atuou como um catalisador para uma sustentabilidade aprimorada, mas pressões externas, como conscientização do cliente e pressão regulatória, estão elevando a lista de prioridades.

Canecas Personalizadas

pesquisa abrange três áreas principais, cada uma das quais impacta a abordagem dos fabricantes à sustentabilidade. A primeira abrange fatores de investimento, como responsabilidade ambiental e barreiras como infraestrutura legada. A segunda considera o status de implementação da sustentabilidade, incluindo áreas-chaves onde as empresas estão atualmente focando suas iniciativas de sustentabilidade e nível de maturidade em sustentabilidade; e o terceiro avalia o caso da economia circular, abrangendo seus principais benefícios.
As principais descobertas incluem:

  • Os principais motivadores das iniciativas de sustentabilidade nas organizações são a conformidade regulatória (classificada em primeiro lugar por 18%); risco do negócio (15%); e incentivos financeiros e reduções de impostos (15%), revelando uma mentalidade reativa dentre os fabricantes;

 

  • As barreiras mais importantes ao investimento em sustentabilidade são as barreiras organizacionais/ausência de responsabilidade centralizada (21%); ativos e infraestrutura legados (18%) e custo inicial (17%);

 

  • Quanto ao estado de implementação, 43% dos inquiridos afirmaram ter implementado processos de tratamento de resíduos e águas; 40% de rastreamento/redução de emissões de carbono em todas as operações da cadeia de suprimentos e 38% de rastreamento/redução de emissões de carbono em todas as operações da cadeia de suprimentos;

 

  • A economia circular está ganhando foco entre os fabricantes, com 12% dizendo que é um foco corporativo e já implantado e outros 80% em processo de pilotagem de iniciativas de economia circular; tendo finalizado os objetivos da economia circular e em processo de implantação, ou no processo de desenvolvimento de objetivos em torno da economia circular;

 

  • O progresso na economia circular é mais forte na América do Norte (onde 18% dizem que é um foco corporativo e já implantado) do que na Europa (7%);

 

  • Os benefícios mais significativos que um modelo de economia circular trará para uma organização são vistos como: apoiar a estratégia sustentável (com 78% classificando-a entre os cinco primeiros); aumentar o envolvimento do cliente (74%) e melhorar a proteção ambiental (74%);

 

  • Melhorar o desempenho ambiental por meio da redução de insumos e eliminação de resíduos em toda a cadeia de suprimentos está no centro da economia circular para 45% dos entrevistados;

 

  • As indústrias mais maduras para a economia circular incluem química, onde mais de um em cada cinco (21%) já o implantaram, e alimentos e bebidas (17%)

Para obter o material completo, faça o download do eBook da IFS em que os dados são explorados com mais detalhes.

Matéria anteriorChega do mercado embalagem de mandioca para delivery
Próxima matériaFabricante brasileira de petfood lança programa alinhado às práticas ESG

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

20 + dezoito =