Ibema tem parcerias que enviam grandes quantidades de embalagens de volta à fábrica para produzir o Ibema Ritagli

Por meio de uma cadeia de supply chain inteligente e de parceiros que permitem colocar a economia circular em prática, a Ibema comemora a marca de 3 mil toneladas de material pós consumo reciclados em 2021, ou seja, lixo tirado de circulação.

No cálculo, entram aparas pós-consumo de cartões, papéis e ondulados que iriam para o lixo, pois já serviram ao seu propósito. A previsão de reciclagem para 2022 é ainda maior, devido a mudanças de produção, e pode alcançar até 4,5 mil toneladas.

Canecas Personalizadas

Ibema Ritagli materializa critérios ESG

Lançado em 2019, o Ibema Ritagli é o primeiro papel cartão triplex pós-consumo do mercado brasileiro. O produto tem 50% de fibras recicladas em sua composição, sendo 30% vindas de pós-consumo. Voltado para as indústrias de cosméticos, farmacêutica e próprio para o contato indireto com alimentos, o Ritagli garante ainda printabilidade e verso branco ou creme.

“A Ibema traz ao brand owner a oportunidade de elevar o cumprimento das metas exigidas pela PNRS, com um produto de alta performance. Ao destinar embalagens pós-consumo para a produção de papel cartão de alta qualidade, estamos todos juntos na missão de transformar o problema do lixo em novas embalagens, num ciclo virtuoso”, explica o gerente corporativo de P&D e Novos Negócios da Ibema, Augusto Arns.

O Ibema Ritagli conta com o apoio de cooperativas e empresas de logística reversa para integrar os critérios ESG: o meio ambiente fica mais limpo; as comunidades de catadores geram renda e a gestão de governança mantém a cadeia funcionando no longo prazo. “É preciso comprometimento e inteligência para integrar sustentabilidade, ao reduzir o lixo do planeta e devolver esses materiais ao processo produtivo; responsabilidade social, ao incrementar a renda das famílias de aparistas; e a governança sustentável, capaz de atrair grandes marcas que agregam valor ao produto e contribuem para esse ciclo virtuoso”, explica Arns.

Matéria anteriorEmpresas desenvolvem embalagem que utiliza menos plástico
Próxima matériaSão Paulo recebe pontos para descarte de resíduos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × um =