Iniciativa é uma parceria com a divisão de poliuretanos da Dow e a Prefeitura de Hortolândia e tem como objetivo recuperar colchões e sofás e evitar seu acúmulo em aterros sanitários

O que acontece com os colchões e sofás após o descarte? Como é a gestão desses materiais nos aterros sanitários e quais seus impactos para o meio ambiente? Foi pensando em desenvolver um modelo para incentivar o descarte correto e a reciclagem desses produtos com potencial de ser replicado pelo país que nasceu o projeto Reuse, atualmente, em fase de testes na cidade de Hortolândia (SP). Cerca de 2 mil sofás e colchões já foram recolhidos do meio-ambiente e encaminhados para cooperativa de reciclagem pelo projeto-piloto que espera superar 2,5 mil unidades até o fim do ano.

O Instituto Akatu, principal ONG do país dedicada à sensibilização e à mobilização para o consumo consciente, é o responsável pela implementação do projeto, em parceria com a multinacional Dow e a Prefeitura de Hortolândia. O Reuse inclui: o recolhimento e o encaminhamento para a reciclagem de sofás e colchões que estavam sobrecarregando aterros sanitários da região; ações educacionais em mais de 30 escolas da rede de ensino municipal para a sensibilização e a mobilização de cerca de 3 mil alunos, educadores e familiares para o descarte correto desses itens; a adequação de Pontos de Entrega Voluntária de Entulho e Outros Materiais Recicláveis (PEVs) da cidade; e a implementação de uma logística para o encaminhamento dos produtos para recuperação em uma cooperativa.

Canecas Personalizadas

“A gestão de resíduos é um tema urgente e o Projeto Reuse traz ações de sensibilização e mobilização dos consumidores e também a participação do poder público, com a revitalização da coleta seletiva e infraestrutura necessária para o descarte e o recebimento adequados dos materiais”, destaca Denise Conselheiro, gerente de educação do Akatu. “Nossa expectativa é que essa experiência identifique e sistematize soluções para serem replicadas em outras localidades”.

“Queremos promover a economia circular por meio da sensibilização e da educação, enfatizando os benefícios ambientais, sociais e econômicos da reciclagem de materiais”, explica Leonardo Censoni, diretor comercial do negócio de Poliuretanos da Dow para a América Latina.

A Prefeitura de Hortolândia também é uma parceira estratégica na iniciativa, por meio das secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Serviços Urbanos, Educação, Ciência e Tecnologia e Inclusão e Desenvolvimento Social. “O trabalho desenvolvido colabora para o fechamento do ciclo da espuma, tão comum em móveis estofados e colchões descartados pela população e tem os moradores como principais aliados”, valoriza Eliane Nascimento, secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Entre as próximas etapas do projeto-piloto estão a implantação de uma campanha de engajamento direcionada à população para divulgar pontos de coleta seletiva, além de canais de informações e de atendimento para dúvidas e agendamento de retirada de sofás e colchões em domicílio. Todo o material recolhido será destinado a uma cooperativa local para a reciclagem e gestão adequada de espumas, madeira, molas e tecidos, evitando o impacto negativo desses resíduos e estimulando o desenvolvimento sustentável.

Mais informações sobre o projeto e os endereços dos PEVs do município estão disponíveis no hotsite. Os moradores de Hortolândia que não tiverem condições de levar seus sofás e colchões para descarte em um desses pontos podem solicitar a coleta desses itens na própria residência até o dia 30/11, por meio dos canais abaixo:

Confira o Website

WhatsApp – (19) 99908-9747

Telefone – 0800 555 1717

Matéria anteriorO primeiro Lab de Sustentabilidade começa nesta segunda-feira, dia 8 de novembro
Próxima matériaPainel sobre pobreza é um dos temas discutidos em evento

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + 7 =