O programa, que transforma resíduos em benefícios para a população desde 2019, já teve mais de 6.700 entregas feitas, além de quase 600 famílias cadastradas

SIG, empresa especializada em envase e embalagens cartonadas, abre mais uma unidade da Casa so+ma, no bairro de Vila Verde, em Curitiba. A primeira, inaugurada em 2019, funciona como um local no qual as pessoas podem praticar a economia circular, levam seus resíduos recicláveis, que são pesados e transformados em pontos acumulados no programa so+ma Vantagens. 

Canecas Personalizadas

Esse programa visa estimular os consumidores a fazer uma mudança no seu comportamento, destinando esses resíduos a lugares próprios, de forma correta e ampliando os índices de reciclagem nas regiões em que a casa atua. Os pontos acumulados podem ser trocados por diferentes tipos de recompensa. Entre eles, cursos de aprimoramento profissional como fotografia, artesanato, negócios, culinária e moda, desconto em lojas e também por produtos SIG.  

Para Isabela de Marchi, Gerente de Sustentabilidade da SIG na América do Sul, a parceria com o programa so+ma está alinhada aos objetivos da estratégia global de sustentabilidade da companhia, Way Beyond Good. “Com essa iniciativa, inicialmente em Curitiba, nosso desejo é ampliar os índices de reciclagem de embalagens no Brasil. E sabemos que isso só será possível se mudarmos o comportamento das pessoas”, comenta Isabela, que finaliza, “o Programa so+ma Vantagens pode continuar ajudando nesse processo da mudança de hábito da população”. 

O investimento da SIG viabilizou a construção de toda a infraestrutura necessária para incubar a cooperativa, envolver a comunidade e adquirir as recompensas para as trocas do programa. Com as 6.800 entregas de material nesses últimos dois anos pelas mais de 600 famílias cadastradas, foi possível reciclar mais de 205 toneladas de resíduos e 12.500 trocas de recompensas foram feitas. Também foi possível economizar quase 1 bilhão de kWh de energia, o suficiente para abastecer 115 mil residências por dia; 2 milhões de água que garantem o abastecimento de 10.600 pessoas; 1.300 milhões de água deixaram de ser contaminadas, 384 árvores deixaram de ser reflorestadas e cerca de 245 mil pessoas tiveram o CO2 emitido compensado. A expectativa é que até o final do ano mais uma unidade seja inaugurada. 

Matéria anteriorLivro fotográfico mostra a riqueza da biodiversidade na Bahia
Próxima matériaPesquisa aponta que 88% dos brasileiros têm seus valores vinculados à sustentabilidade 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × cinco =