Airbus, Dassault Aviation, ONERA, o Ministério dos Transportes Francês e a Safran lançaram o primeiro estudo de voo de uma aeronave de corredor único que funciona com combustível de aviação sustentável (Sustainable Aviation Fuel, da sigla em inglês SAF) não misturado.

Durante o teste de voo realizado sobre a região de Toulouse em 28 de outubro, um motor CFM LEAP-1A de uma aeronave de teste Airbus A319Neo operou com 100% de SAF. Os resultados iniciais dos testes de solo e de voo são esperados para 2022.

Canecas Personalizadas

O SAF sem misturas é fornecido pela Total Energies. Ele é feito a partir de ésteres hidroprocessados e ácidos graxos (HEFA – Hydroprocessed Esters and Fatty Acids), que consiste principalmente em óleo de cozinha usado, bem como outras gorduras residuais. O HEFA é feito de hidrocarbonetos parafínicos e é livre de aromáticos e enxofre. Aproximadamente 57 toneladas de SAF serão utilizados durante a campanha de testes, com produção na Normandia, perto de Le Havre, na França. O combustível de aviação sustentável também será utilizado para estudos de compatibilidade e operabilidade do motor dos Helicópteros Arrano Safran utilizados na família H160 da Airbus, que devem começar no próximo ano.

A Airbus, em colaboração com a DLR, é responsável pela caracterização e análise do impacto do combustível sustentável em solo e emissões a bordo. A Safran concentra-se nos estudos de compatibilidade relacionados ao sistema de combustível e adaptação do motor para aeronaves comerciais e helicópteros, bem como sua otimização para vários tipos de combustíveis que não agridem o meio ambiente. A empresa também realizará testes de motor LEAP em solo com o SAF em seu Villaroche. A ONERA está apoiando as empresas em suas avaliações sobre a compatibilidade do combustível em relação aos sistemas das aeronaves e será responsável pela preparação, revisão e interpretação dos resultados destes testes para o impacto da matéria prima sustentável sobre as emissões e a formação de contraplacado. A Dassault Aviation está contribuindo para essa pesquisa de comparação de materiais e equipamentos, além de verificar a suscetibilidade à biocontaminação do SAF.

O estudo – conhecido como VOLCAN (sigla de “VOL avec Carburants Alternatifs Nouveaux”, que significa voar com novos combustíveis alternativos) – contribui para os esforços globais de descarbonização, atualmente desenvolvidos em toda a indústria aeronáutica, e se beneficia de um financiamento do plano de recuperação France Relance, a parte dedicada à descarbonização da aviação, que é implementada pela DGAC (Direction générale de l’aviation civile) sob a supervisão de Jean-Baptiste Djebbari, Ministro dos Transportes da França. O objetivo final do estudo é promover a implantação e o uso em larga escala de SAF e a certificação da matéria prima 100% sustentável para uso em aeronaves de corredor único e na nova geração de jatos comerciais.

 

Matéria anteriorMaior produtora de papéis do Brasil chega à COP-26 para engajar o setor privado no combate às mudanças climáticas
Próxima matériaSaiba como reduzir emissões de carbono com medidas simples

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

18 + três =