O espaço, inaugurado dia 4 de dezembro, em Joinville, planejado e construído por voluntários, com apoio do Instituto Carlos Roberto Hansen, é fundamental para a reabilitação e desenvolvimento de crianças com deficiências físicas e ou intelectuais

Na semana passada foi inaugurado o Jardim Sensorial do Instituto Dona Anna de Reabilitação do Potencial Humano. O espaço é um sonho antigo de pais, professores, voluntários e, principalmente, das quase 70 crianças atendidas pela instituição.

O Jardim Sensorial é composto por plantas, aromas, formas e texturas que, além oferecerem bem-estar e lazer, estimulam os cinco sentidos (tato, visão, olfato, paladar e audição). Dessa maneira é possível transcender o espaço terapêutico, fazendo com que as crianças e adolescentes acompanhados pelo Instituto desenvolvam propriocepção, equilíbrio, criatividade, atenção, concentração, autonomia em suas atividades diárias, entre outros benefícios.

Canecas Personalizadas

O espaço propiciará a integração, motivação, socialização e estímulos com diversos recursos lúdicos e terapêuticos que motivarão as crianças com deficiência um maior interesse e predisposição aos exercícios. Além disso, fortalecerá a integração, ao compartilharem as mesmas experiências, reforçando os laços familiares com atividades que envolvam a reabilitação, aprendizagem e socialização. A intenção é que essa atividade reflita no vínculo familiar, estreitando relações, gerando o respeito entre os membros da família e buscando uma melhora na qualidade de vida. Tudo isso um espaço adaptado com equipamento terapêuticos e de lazer ao ar livre, fora da sala de atendimento.

Instituto Dona Anna de Reabilitação do Potencial Humano

O Instituto Dona Anna foi fundado em 28 de fevereiro de 1995, por Anna Destefani Duffeck, a partir das necessidades do seu filho, Ricardo Duffeck, que nasceu com deficiência intelectual. Em busca de oferecer a seu filho melhores recursos, métodos e tratamento, e também atendendo ao apelo de algumas mães da comunidade e áreas adjacentes com situações semelhantes, juntamente com a pedagoga Valdete Wiemes, criou a Instituição, que no início fica em sua residência. Depois, com recursos próprios construiu-se a sede atual da entidade. Hoje, o Instituto atende gratuitamente mais de 66 crianças e jovens com deficiências físicas e/ou intelectuais.

Jardim Sensorial, um sonho da dona Anna

Quem conhecia Dona Anna sabia o quanto ela amava e se dedicava em cuidar de plantas, flores e da natureza de modo geral. Um de seus últimos desejos foi a implantação de um Jardim Sensorial na Instituição para auxiliar nas terapias. Entretanto, meses depois de idealizar o projeto, em fevereiro de 2019, dona Anna faleceu.

O projeto, entretanto, não morreu. Com a liderança de Gil Prayon, funcionário da Tigre, e parceria do Instituto Carlos Roberto Hansen, Instituto Guga Kuerten, Irmãos Feitosa, Gráfica Volpato, Chef Borges, Associação B157, EITI Gestão de TI, CORE-E Internacional School, Adriano Liermann, Oper Serv Facilities Eireli, Boa Vista Paisagismo, Agrícola da Ilha e Júlio César de Aguiar Junior, o Jardim Sensorial foi finalizado e inaugurado dia 4 de dezembro.

Matéria anteriorMaior fabricante do ketchup adota caminhão 100% elétrico na região metropolitana de Goiânia
Próxima matériaPrograma de Voluntariado busca soluções para desafios das comunidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − seis =