Iniciativa faz parte do “Projeto Escola”, do Greenpeace Brasil, que oferece materiais para desenvolver a educação ambiental na grade escolar

Diante das incertezas decorrentes da volta às aulas, com o aumento de casos de Covid-19, cresce cada vez mais a necessidade de materiais acessíveis e virtuais para professores. Com base neste cenário, o Greenpeace Brasil lançou a iniciativa “Amazônia Explicada”, um conjunto de atividades pedagógicas sobre a Amazônia para ajudar professores e professoras a abordarem temas relacionados à floresta, como o desmatamento, os povos indígenas e a questão climática, a partir de conceitos das disciplinas escolares, como biologia, geografia e linguagem.

A iniciativa apresenta um caminho para dialogar com as temáticas da Amazônia em sala de aula de forma acessível, considerando as competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a partir de conceitos das disciplinas da grade escolar. Rafael Ferraz, porta-voz do Greenpeace Brasil, salienta a importância da realização de uma iniciativa como a “Amazônia Explicada”: “Os jovens estão cada vez mais engajados nas temáticas ambientais e a sala de aula é um ambiente propício para a formação de agentes questionadores e atuantes na transformação social. A educação ambiental é a chave para o futuro”, afirma.

Canecas Personalizadas

Os materiais podem ser acessados e baixados gratuitamente pelo site oficial do Projeto Escola.

Conheça o Projeto Escola

O Projeto Escola é uma das principais frentes de trabalho dos voluntários do Greenpeace Brasil. Lançado em 2015, as ações do projeto consistem em intervenções práticas nas instituições de ensino, como palestras, brincadeiras, além de exibição de filmes com bate-papos sobre ativismo e meio ambiente. O conteúdo dos encontros é adaptado para alunos de diferentes faixas etárias. Ao todo, mais de 55 mil pessoas de todo o país foram impactadas pela iniciativa.

Em 2021, diante da pandemia do novo coronavírus e das medidas restritivas de isolamento social, as ações online do projeto sensibilizaram mais de 7 mil pessoas, entre estudantes e educadores de todo o país. Pensando nesse ambiente virtual, o Greenpeace Brasil está desenvolvendo uma plataforma na qual os profissionais de educação poderão acessar, baixar e compartilhar estes materiais, aproximando ainda mais a educação formal da educação ambiental.

Matéria anteriorPúblico pode ajudar escolher nome de ecotrilha na Mata Atlântica
Próxima matériaPrimeiras entregas com veículos elétricos e embalagens retornáveis é feita em ação pioneira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × três =