A farmacêutica italiana Zambon está estruturando seu programa de logística reversa com planos para ampliá-lo para todo o Brasil, nos próximos dois anos. A empresa possui, atualmente, três postos de coleta que estão estabelecidos no estado de São Paulo, mas até 2023 serão criados outros 11, em todo o Brasil, e em 2025 o número deve chegar a cerca de 30 locais.

Atualmente, o material entregue nas farmácias é recolhido pela empresa BHS (Brasil Health Service), que também é responsável pela incineração dos resíduos. Em 2019, foram descartados 21kg de medicamentos nos três postos de coleta da Zambon. Em 2020, a quantidade mais do que dobrou: foram 58kg e este ano, só até maio, já foram coletados 36 kg.

Canecas Personalizadas

O sistema de logística reversa permite que os medicamentos domiciliares vencidos ou sem uso sejam devolvidos à indústria para a realização do descarte correto, evitando o despejo no lixo comum ou no esgoto doméstico.

“Quando descartados corretamente e incinerados, os medicamentos não contaminam a natureza e nem correm o risco de serem utilizados pela população em condições inadequadas”, explica Alexandre Brasil, diretor de operações da Zambon. “O descarte em vasos sanitários ou pias além de sobrecarregar a rede de esgoto e impactar todo o sistema de tratamento, também é o caminho mais rápido para a contaminação dos recursos hídricos, como mares, rios e lagoas, e do ecossistema aquático”, complementa.

Legislação – A implementação, estruturação e operacionalização do sistema de logística reversa de medicamentos estão especificadas no decreto federal 10.388/2020 . No estado de São Paulo, o Plano de Logística Reversa é uma iniciativa da Cetesb e vem sendo articulada pela Interfarma, Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa.

Atualmente, já estão estabelecidos aproximadamente 1,4 mil pontos de descarte, e o objetivo é encerrar o ano com 1,9 mil locais e 240 toneladas de medicamentos descartados corretamente. Até setembro de 2023, serão instalados dispensadores em farmácias e drogarias nas capitais de todos os estados brasileiros e nos municípios com população acima de 500 mil habitantes. Em um segundo momento, de setembro de 2023 a setembro de 2026, os postos serão criados em cidades com mais de 100 mil habitantes.

Postos de coleta Zambon

Drogaria Coop – Av. Lino Jardim, 744 – Vila Bastos – Santo André – SP
Drogaria Vera Cruz – Av Julio Buono, 1.048 – Vila Gustavo – São Paulo -SP
Farmácia Independente – Rua Figueiras, 956 – Jd. São Paulo – Americana – SP

Matéria anteriorPesquisa inédita sobre lixo eletrônico mostra que os brasileiros ainda não sabem o que é esse resíduo e como descartá-lo
Próxima matéria90% dos resíduos industriais gerados por metalúrgica no Brasil é reciclado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

oito − sete =