GreenYellow investe R$ 29 milhões e concluirá obras em Riolândia, Coroados e Presidente Epitácio até o final de 2021, com apoio da InvestSP  

A GreenYellow, empresa francesa de soluções em energia, deve concluir até o final de 2021 mais três usinas solares fotovoltaicas no estado de São Paulo. As unidades estão sendo construídas em três municípios paulistas de diferentes regiões. Com investimento total de R$ 29 milhões, as novas usinas estão localizadas em Riolândia, Coroados e Presidente Epitácio.

Canecas Personalizadas

O Brasil possui um potencial de geração solar muito grande e, com a urgência do tema ambiental, a GreenYellow tem visto um aumento na demanda por soluções energéticas de baixo impacto. Quando as três novas plantas estiverem plenamente em operação, elas evitarão que 1.440 toneladas de CO² sejam emitidos na atmosfera.

“Além do viés econômico, representado por investimentos robustos, há também o aspecto ambiental, que atrai a atenção da sociedade de uma forma muito positiva, uma vez que contribui para a geração de energia limpa”, diz Marcelo Varlese, diretor comercial da GreenYellow.

A InvestSP, que trabalhou com a GreenYellow na implementação das usinas que já operam em Penápolis e Barbosa, presta suporte na construção das novas instalações. “O respeito ao meio ambiente já é uma realidade na estratégia de atuação das grandes empresas. O modelo de negócio da GreenYellow possibilita uma forma mais limpa e eficiente de consumo de energia. Isso mostra que temos condições de crescer e respeitar o meio ambiente, o que é uma grande preocupação no estado de São Paulo”, afirma Wilson Mello, presidente da InvestSP .

No começo de 2021, a GreenYellow anunciou o plano de investir R﹩ 350 milhões no país e direcionar R$ 270 milhões desse montante para a geração de energia fotovoltaica. A empresa possui hoje 46 usinas em operação ou construção no Brasil, onze delas estão no estado de São Paulo, sendo responsáveis por 27% da potência instalada da empresa em território brasileiro.

Matéria anteriorEmpresa nacional capta R$ 1,5 bilhão em SLD (Sustainability-Linked Debêntures), na maior e mais longa emissão desta modalidade 
Próxima matériaGrupo de Tecnologia alemã emite, pela primeira vez, título verde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × dois =