Os cinco nomes que levaram, ao todo, R$ 180 mil reais foram revelados em live no Instagram

O Instituto C&A – pilar social da C&A no Brasil – anunciou os ganhadores do Prêmio Fashion Futures em live em suas redes sociais. Dentre 323 inscritos de todo o Brasil, foram selecionados quatro iniciativas e uma personalidade para receberem, ao todo, R$ 180 mil reais para pensar o futuro da moda.

Na categoria Design Sustentável, a Liga Transforma Moda Sustentável foi a ganhadora de R$ 30 mil e o apoio para desenho de desenvolvimento de seu negócio. A organização, localizada em Salvador (BA), tem o objetivo de fomentar articulações estratégicas no mercado da moda, da beleza e de outros segmentos para captação de resíduos têxteis e, a partir disso, levantar investimentos de capital para aplicação em práticas de impacto social em prol do protagonismo feminino de mulheres em vulnerabilidade e risco social.

Canecas Personalizadas

Em Negócio de Impacto Social, o projeto escolhido para receber R$ 30 mil, além de apoio para desenho de desenvolvimento do negócio, foi o da Daterra Project, uma iniciativa socioambiental que desenvolve tecidos sustentáveis a partir do reaproveitamento de resíduos têxteis de confecções de jeans em Riacho das Almas (PE), local que concentra o segundo maior polo têxtil do país.

O Ateliê TRANSmoras foi o ganhador de R$ 50 mil na categoria Projeto Social. O coletivo, de Campinas (SP), vem desenvolvendo tecnologias por meio da moda, utilizando a transmutação têxtil e a reutilização de materiais descartados, para reduzir as vulnerabilidades das pessoas trans em um contexto de insegurança, visando a autonomia de suas produções artísticas.

O projeto ganhador na categoria de Inovação e Tecnologia, que receberá um incentivo de R$ 50 mil e mais investimento e apoio no desenvolvimento de projetos de captação de recursos, foi a Las Comas Confecção Comércio e Serviços, de São Paulo (SP). Ela foi responsável pelo desenvolvimento da Oricla, que é uma solução que sistematiza a criação e produção de novos tecidos, feitos mediante upcycling, a partir de resíduos têxteis gerados na fase do corte em confecções.

Em Personalidade de Moda, a criadora do projeto Modativismo, na Bahia, Carol Barreto, foi a premiada com R$ 20 mil e treinamento por meio de um programa de desenvolvimento de liderança. Mulher negra, jovem, artista e empreendedora, Carol também é autodidata em design de moda e busca criar coleções em uma perspectiva afrofuturista na tentativa de romper com os repetidos estereótipos de negritude e de baianidade.

O Fashion Futures contou com uma banca de avaliação formada por um time que atua no universo da moda: Michele Simões, do Meu Corpo é Real; Lucilene Dacinguer, da Colabora; Fernanda Simon, da Fashion Revolution; João Souza, diretor Comercial e de Produtos do Feminino da C&A; Isaac Silva, da Isaac Silva Brand; Day Molina, da Nalimo; Patrícia Sant’Anna, da Tendere; Adriana Barbosa, da Feira Preta; Marcelo Banfi, professor e stylist; e Hanayrá Negreiros, da Revista ELLE.

 

Matéria anteriorRegião metropolitana de Campinas ganhará primeira usina de geração de energia a partir do lixo reciclado
Próxima matériaNovo fundo de R$ 20 milhões para investimentos em startups de impacto socioambiental é criado por instituto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × dois =