Com apoio do Google, iniciativas de treinamento e capacitação ajudaram mulheres a recuperar a autoestima, desenvolver suas carreiras e empreender em meio à pandemia

Com o objetivo de minimizar o impacto econômico sobre as mulheres, as mais afetadas durante a pandemia em todo o mundo, a Rede Mulher Empreendedora (RME) treinou e capacitou mais de 200 mil brasileiras desde 2019 por meio de uma série de iniciativas voltadas às mulheres, com foco nos grupos mais vulneráveis. A Rede Mulher Empreendedora e o Instituto RME, braço social da RME, são organizações de apoio ao empreendedorismo feminino voltada à integração, capacitação e a troca de conhecimento entre brasileiras que possuem ou buscam ter seu próprio negócio.

De acordo com a consultoria McKinsey Global Institute (“Covid-19 e a equidade de gênero: contando os efeitos regressivos”), mulheres têm 39% dos empregos do mundo, mas representaram 54% das demissões durante a pandemia.

Canecas Personalizadas

Um dos programas liderados pelo Instituto RME é o Potência Feminina, iniciativa de abrangência nacional de apoio a negócios liderados por mulheres. A iniciativa, que tem apoio do Google.org, braço filantrópico do Google, oferece três trilhas de conhecimento: empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia. Mais de 35 mil empreendedoras já foram certificadas pelo programa, que ainda envolve etapas de capital semente (59 negócios atendidos) e aceleração (676 negócios acelerados), com 735 empresas alcançadas no total.

Para alcançar esse público, o projeto equipou salas com computadores e ofereceu ajuda de custo para despesas e manutenção de espaços geridos por dez organizações presentes em diversas regiões do Brasil. “Eu sou mãe, mulher e dona de casa. Após a chegada do meu segundo filho, é como se eu tivesse parado de sonhar, de viver. Eu me olhava no espelho, nas fotos antigas, e não me reconhecia mais. Quando vi a oferta deste curso, é como se uma porta se abrisse para mim”, disse Flávia, de Alagoas. “O projeto Potência Feminina pode mudar minha realidade, porque eu vi mulheres que inspiram a sermos cada vez melhores.”

Outra iniciativa é o Ela Pode, focado em apoiar mulheres na recuperação da autoestima, por meio de capacitações com foco em habilidades como liderança, como falar em público, educação financeira, negociação, letramento digital — essenciais para quem quer abrir um negócio ou busca por emprego. “Acreditamos que quando investimos em mulheres, elas contribuem dando um retorno à sociedade. Elas investem na educação dos filhos, no bem-estar das comunidades onde vivem e na construção de um mundo mais igualitário”, conta Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora e do Instituto RME.

Desde o início do projeto, em 2019, até o início do mês de outubro de 2021, mais 200 mil mulheres foram capacitadas. O programa conta com multiplicadoras treinadas pelo IRME, organizações locais parceiras e apoio do poder público para a aplicação da metodologia, chegando a mais de 1.800 municípios.

Cresça com o Google

O programa Cresça com o Google, um programa de treinamento e capacitação com foco no desenvolvimento de habilidades de marketing digital e de negócios, liderado pelo Google com apoio da Rede Mulher Empreendedora, realizou diversas edições ao longo de 2021, cinco delas dedicadas especialmente às mulheres: desenvolvimento de carreira, empreendedorismo, tecnologia, retorno ao mercado de trabalho, além de uma edição dedicada às mulheres pretas.

Mais de 70 mil mulheres passaram pelos treinamentos, assistiram palestras inspiradoras de nomes como Rachel Maia, Sofia Esteves e Ana Minuto, a respeito de temas como autoestima, trabalho remoto, criatividade, networking e desenvolvimento de marca. O conteúdo de todas as edições segue aberto ao público, com disponibilidade imediata e sob demanda.

“No Google, acreditamos que todos devem ter acesso às oportunidades que a tecnologia oferece e por isso investimos em parcerias com organizações como a Rede Mulher Empreendedora, que atua diretamente buscando soluções para superar os desafios enfrentados em cada comunidade”, diz Susana Ayarza, diretora de Marketing do Google no Brasil. “Saber que esse esforço promoveu um impacto positivo na vida de tantas mulheres no Brasil em meio à pandemia nos motiva a continuar, juntas, trabalhando para ampliar o acesso a informação de qualidade e a oportunidades em 2022.”

Matéria anteriorEvento abordará inclusão no mercado de trabalho
Próxima matériaEmpresa de soluções de mobilidade neutralizou mais de 40 mil toneladas de carbono com mudanças no abastecimento de frotas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco − um =