A nova unidade, que vai ter investimento de R 870 milhões, será no Paraná e vai produzir garrafas a partir da reciclagem de cacos e retornáveis, que podem ser reutilizadas mais de 20 vezes ao ano

A Ambev anunciou que vai construir uma nova fábrica de vidros sustentáveis. Muito além de abastecer todo o país, a unidade representa a aposta no desenvolvimento da logística reversa e economia circular. Com previsão de começar a operar em 2025, a unidade ficará no Paraná e vai ter um investimento de R$ 870 milhões.

Toda a produção estará alinhada à meta da companhia de ter 100% dos seus produtos em embalagens retornáveis ou feitas majoritariamente de conteúdo reciclado até 2025. A fábrica de vidros produzirá garrafas a partir da reciclagem de cacos, recolhidos em parcerias com empresas de logística reversa e cooperativas. A nova planta terá capacidade de produzir garrafas long neck, 300ml, 600ml e 1L para diversos rótulos, como Stella Artois, Becks e Spaten, e abastecerá suas cervejarias em diversos estados, além do próprio Paraná.

Canecas Personalizadas

Além disso, a unidade nascerá com 100% de energia elétrica renovável e será preparada para operar com biocombustíveis. Contará com uma estação para tratamento de 100% dos efluentes gerados e reaproveitamento da água utilizada no processo e várias tecnologias de ponta, garantindo alta eficiência hídrica e energética.

“A nova fábrica de vidros vai impactar positivamente todo o ecossistema de logística reversa. Além da meta de embalagem circular, a construção endereça outros compromissos da companhia, como ter 100% da energia proveniente de fontes renováveis”, afirma Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Ambev.

A primeira fábrica de vidros da Ambev, inaugurada em 2008 no Rio de Janeiro, é hoje a vidreira que trabalha com o maior percentual de material reciclado do Brasil. Em 2021, fez — de forma pioneira depois de alguns anos de pesquisa e desenvolvimento — a sua primeira garrafa de vidro 100% reciclado no país em escala industrial, resultado de um trabalho que conecta inovação e tecnologia no processo de reciclagem. O vidro, que é uma das principais embalagens das bebidas, tem grande potencial de reciclagem. Quando reciclado, além de fomentar a cadeia de logística reversa, gera impactos positivos como redução do consumo de energia e das emissões de CO2 lançados na atmosfera.

 

 

Matéria anteriorPesquisa apontou que brasileiro teve Natal mais desigual apesar de melhor para o comércio
Próxima matériaEstudo aponta que investimentos em tecnologia de baixo carbono devem aumentar 8x vezes/ano para planeta atingir net-zero em 2050

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro × dois =