As unidades de Gravataí e Raposo, fazem parte do projeto de transformar todas as plantas no Brasil em Aterro Zero até dezembro de 2022

A Bimbo Brasil anuncia a finalização de seu programa Aterro Zero para as fábricas localizadas em Gravataí, no estado do Rio Grande do Sul e Raposo, no estado de São Paulo. O projeto começou a ser implementado em 2020, sendo a melhor solução para a destinação sustentável dos resíduos sem impactar o meio ambiente, trazendo benefícios tanto para a fábrica como para seu entorno.

“Como empresa, grande parte do nosso objetivo é implementar e desenvolver soluções de resíduos mais sustentáveis, de forma a ter um impacto positivo no meio ambiente e na sociedade. Nessa lógica, acreditamos em buscar soluções para outros usos de resíduos, ao invés de simplesmente descartá-los em aterro. Por isso, estamos continuamente investindo em processos que possam tratar os resíduos de forma mais eficiente e sempre alinhado aos conceitos de logística reversa e economia circular”, afirma Mário Escotero, diretor de Gestão de Pessoas, Comunicação, Jurídico e Assuntos Corporativos da Bimbo Brasil.

Canecas Personalizadas

A companhia enfrenta os principais desafios ambientais, que são proteger os recursos naturais, lidar com as mudanças climáticas e proteger a biodiversidade. Por isso, o projeto visa transformar 100% das fabricas da Bimbo Brasil em aterro zero, gerindo de maneira sustentável e propondo as melhores soluções inovadoras para a comunidade local, público interno e os consumidores.

As plantas Gravataí e Raposo, juntas somam mais de mil toneladas de resíduos por mês, no entanto, 100% deles estão sendo transformados e utilizados por meio da prática da economia circular, portanto, a companhia evita impactos ambientais, além de ajudar a gerar mais empregos e renda na comunidade onde opera. Até o final de 2022, todas as fábricas da companhia no Brasil serão Aterro Zero. Esta é uma das iniciativas que faz parte do planejamento de sustentabilidade do Grupo e segue a filosofia de ser uma empresa sustentável, altamente produtiva e plenamente humana.

Matéria anteriorCOP26: marca têxtil lança laboratório de inovação e sustentabilidade na moda
Próxima matériaPrograma Criança e Consumo, do Instituto Alana, convida público a refletir sobre o consumismo e os desafios da exploração comercial infantil no ambiente digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

10 − dois =