Carbonita_MG, 26 de outubro de 2016 Producao de eucalipto da Arcelor Mittal Foto: JOAO MARCOS ROSA/NITRO

Iniciativa da ArcelorMittal faz parte do reposicionamento da empresa para as agendas de futuro da indústria do aço e da sociedade

A ArcelorMittal anunciou nesta terça-feira, 18/5, a criação de um fundo de gestão por meio do qual irá investir mais de R$ 100 milhões na aceleração de startups e pequenas empresas inovadoras. O fundo Smart Ventures é o pioneiro da empresa no Brasil e inaugura uma série de iniciativas voltadas para os próximos anos, que incluem ainda a criação da Diretoria de Estratégia, Inovação e Transformação do Negócio, considerada internamente uma “Diretoria do Futuro”, por reunir numa mesma equipe, a missão de potencializar a estratégia do negócio conectando a performance de hoje com os desafios do amanhã.

Canecas Personalizadas

A ação reforça o protagonismo e confiança da ArcelorMittal no ambiente de negócios do país. “O aporte inédito reforça o olhar da empresa para o futuro, que é o que a mantém há 100 anos atual e apta a constantes desafios, além de líder na produção de aço no Brasil. Com esse movimento, a empresa avança no fortalecimento do seu ecossistema, para torná-lo mais competitivo, inovador e conectado com as demandas do negócio”, diz Jefferson de Paula, CEO da ArcelorMittal Aços Longos LATAM e Mineração Brasil.

Os investimentos do fundo, um Corporate Venture Capital (CVC), estão previstos para os próximos quatro anos e serão destinados a empreendimentos no Brasil e em outros países da América Latina que tenham alto potencial de crescimento. A estratégia é identificar startups que tenham solução validada e que desenvolvam novos negócios, produtos e serviços ou incorporem novas tecnologias para aumentar a competitividade e enriquecer a proposta de valor da cadeia da ArcelorMittal. As startups selecionadas estarão relacionadas às áreas de Siderurgia, Mineração, Construção Civil, Indústria, Sustentabilidade, Logística, Comercial, Varejo e Distribuição.

O Smart Ventures será uma das responsabilidades da nova diretoria, que terá à frente a executiva Paula Harraca. De acordo com Paula, o objetivo é integrar a estratégia junto a temas relevantes da sociedade contemporânea que demandam endereçamento, como inovação, ESG, investimento social, novos negócios e cultura organizacional, diversidade e inclusão. “Diante deste cenário, o segmento de aços longos da ArcelorMittal ousa ao agrupar agendas de futuro que não costumam estar unidas em uma mesma diretoria, por entender que são interdependentes e que na sua integração se cria um lugar de potência transformadora para alavancar a performance da empresa de forma sustentável”, afirma a diretora.

Mentoria para startups – Com o lançamento do fundo, a ideia é aplicar o conceito de “Smart Money”, ou seja, além do aporte financeiro, a ArcelorMittal também irá acompanhar e oferecer mentoria para maximizar a chance de sucesso. Para Jefferson de Paula dar este passo só é possível porque, nos últimos anos, a companhia consolidou ativos valiosos como o domínio do negócio na frente técnica, a saúde financeira e um perfil competitivo.

“Com investimentos em projetos que buscam transformar o setor, a empresa fortalece seu papel como agente de mudança na indústria do aço e na sociedade. A cocriação, a troca de expertise da ArcelorMittal com a experimentação das startups, a consolidação da cultura da inovação na organização e o impacto dos projetos no mercado são alguns dos ganhos previstos com o Smart Venture”, explica De Paula.

O Smart Ventures representa a evolução de uma estratégia iniciada com a criação do primeiro laboratório de inovação do setor siderúrgico do mundo, o Açolab, que completa três anos em julho. Com atuação voltada para facilitar, organizar e acelerar o processo de inovação na ArcelorMittal, o hub de inovação está conectado a 4,5 mil startups (cerca de 30% do total de startups brasileiras) e servirá de referência para atrair startups potenciais para o fundo.

Reestruturação – “A Diretoria do Futuro” abrange áreas interdependentes para a construção do amanhã da indústria do aço:

– Estratégia e ESG.

– Inovação e Novos Negócios

– Cultura Organizacional, Diversidade e Inclusão

– Comunicação, Branding e Relacionamento Institucional

– Fundação ArcelorMittal

– Modelo de gestão e transformação do negócio

Com essa mudança, a antiga Diretoria de Pessoas e Inovação teve sua configuração revista, dando lugar à Diretoria de Pessoas, Saúde e Bem-Estar, liderada por Sofia Camisasca, que ocupava anteriormente o cargo de Gerente Geral de Pessoas da ArcelorMittal Longos e Mineração Brasil. Dessa forma, o time de Diretoria de Aços Longos incorpora mais uma mulher para o C-level da companhia. Entre as atribuições dessa diretoria estão não apenas os processos habituais relacionados a Recursos Humanos – atração, desenvolvimento, remuneração e benefícios, business partner etc. – mas também uma dimensão maior voltada à promoção da saúde e da qualidade de vida, visando acompanhar de perto a jornada e melhorar a experiência de trabalho dos colaboradores.

Matéria anteriorLocadora de carros é eleita a melhor empresa ESG na categoria mobilidade
Próxima matériaRede de postos firma parceria com o Instituto Identidades do Brasil e implementa Selo “Sim à Igualdade Racial”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × 5 =