O FTSE4Good Index mede o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança

O BTG Pactual (BPAC11), maior banco de investimentos da América Latina, recebe selo de sustentabilidade da Bolsa de Londres, que mede o desempenho de empresas que demonstram fortes práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).

“Acreditamos no desenvolvimento econômico sustentável e, por sermos o maior banco de investimentos da América Latina, sabemos do nosso papel como indutor do mercado financeiro para adoção das práticas ESG. Ganhar o selo de sustentabilidade da Bolsa de Londres é um reconhecimento internacional importante de que estamos na direção correta”, afirma Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual.

Canecas Personalizadas

Para fazer parte do selo, são levadas em conta as informações públicas existentes sobre a empresa que abarcam 14 temas dentro dos pilares de meio ambiente, social e governança. O questionário possui 300 perguntas sobre biodiversidade, mudança climática, poluição e recursos, segurança da água, responsabilidade do cliente, saúde e segurança, direitos humanos e comunidade, normas trabalhistas, políticas anti-corrupção, governança corporativa, gerenciamento de risco, transparência fiscal, e os aspectos ambiental e social da cadeia de suprimentos.

Os índices FTSE4Good podem ser usados de quatro maneiras principais: como ferramentas na criação de investimentos atrelados a índices, instrumentos financeiros ou produtos de fundos focados em investimento sustentável; para identificar empresas ambiental e socialmente sustentáveis; como referência para padrão de sustentabilidade das empresas, e como referência para avaliar o desempenho de carteiras de investimentos sustentáveis.

“A adesão do BTG ao selo de sustentabilidade de Londres reforça o compromisso do BTG Pactual com a busca e aperfeiçoamento contínuo para as melhores práticas de sustentabilidade, governança e gestão do seu negócio, e se soma às demais iniciativas do banco em ESG”, afirma Rafaella Dortas. Em 2019 e 2020, o BTG Pactual compensou 100% das emissões de carbono diretas e as emissões indiretas decorrentes de viagens aéreas, transporte dos funcionários e resíduos gerados nas operações. Em 2020, foi dado um passo adiante para compensar a pegada de carbono dos 90 escritórios de agentes autônomos ligados ao banco.

Também no ano passado, o BTG criou a área de Investimento de Impacto, que fomenta a criação de produtos e serviços que unam retorno financeiro com impacto socioambiental positivo, e passou a integrar o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3), que reúne em carteira 39 empresas listadas na bolsa com melhor desempenho em sustentabilidade. O Banco também faz parte do Índice CDP Brasil – Resiliência Climática (ICDPR-70), que mensura o desempenho dos papéis de empresas com práticas diferenciadas em gestão climática, alinhado às tendências globais e recomendações de acordos internacionais. O índice busca quantificar o desempenho financeiro das organizações frente ao tema da mudança do clima.

Em 2021 o banco aderiu ao Sustainable Bond Network da Nasdaq (SBNS), banco de dados da bolsa americana que reúne as informações sobre as principais emissões de bens sustentáveis no mundo. O Banco cadastrou sua captação de US﹩ 500 milhões em green bonds, realizada em janeiro deste ano, e se tornou a primeira instituição financeira da América Latina a integrar a lista.

 

Matéria anteriorEmpresas que reduzirem emissões ou aumentarem iniciativas sociais pagarão menos juros no BNDES
Próxima matériaCarro a hidrogênio poderá ser testado pelo público em evento na Alemanha

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 + dois =