Produção mostra o passo a passo desta tecnologia que trata esgoto e produz biogás

Para dar mais autonomia a comunidades sem atendimento de sistemas de tratamento de esgoto, de áreas rurais e urbanas, o IPESA (Instituto de Projetos e Pesquisas Socioambientais) acaba de lançar um vídeo educativo em que apresenta em detalhes a metodologia para a construção de biodigestores.

O material, produzido em parceria com a Fluxus Design Ecológico, a Meridiano Filmes e o Instituto Camargo Corrêa, busca democratizar essa tecnologia social acessível e de fácil construção. “Precisamos de soluções que beneficiem comunidades isoladas, onde mesmo com esforço dos governos o sistema público de tratamento de esgoto não chega. O sistema permite também uma importante economia na compra de gás de cozinha”, diz Paola Samora, presidenta e fundadora do IPESA.

Canecas Personalizadas

Conforme explicou Paola, o vídeo complementa a cartilha “Manejo da Água” produzida com a mesma finalidade. “Trata-se de um guia prático ilustrado que apresenta formas inteligentes de lidar com a água em nossas moradias, com especial atenção às tecnologias de purificação de águas servidas, que transformam o esgoto em fonte de recursos”, explica.

O que é um Biodigestor?

O Biodigestor é um sistema de tratamento de águas servidas que atua por meio da decomposição da matéria orgânica em ambiente anaeróbio (sem oxigênio). Ele gera biogás que pode ser utilizado como fonte de calor, combustível e energia. Os biodigestores podem ser projetados para tratamento de efluentes humanos e animais em larga escala, em zonas urbanas e rurais. Aqui, apresentamos um sistema unifamiliar, projetado para atender as águas servidas de uma família de 04 a 05 pessoas, ou apenas de águas pretas para cerca de 10 pessoas.

Vantagens na construção do equipamento

  • A manutenção do sistema é mínima;
  • A estrutura é permanente e funciona por equilíbrio hidráulico, não demandando manejo para destinação das águas;
  • A água sai tratada com diversos micronutrientes disponíveis para a irrigação de frutíferas, otimizando o trabalho de adubação e irrigação em pomares;
  • As plantas produzidas na caixa de compensação devem ser podadas periodicamente. O produto dessa poda é excelente fonte de biomassa para cobertura de solo, compostagem, ou alimentação animal;
  • Não precisa de reforma na estrutura do banheiro já existente e não demanda alterações no hábito de utilização;
  • O biogás pode ser utilizado de diversos modos, como na utilização do gás convencional de cozinha. Para uma família de 5 pessoas, por exemplo, pode gerar economia de até 4 botijões de gás por ano.

O desenvolvimento 

O engenheiro e permacultor Guilherme Castagna, da Fluxus Design Ecológico, parceiro do IPESA, foi responsável por desenvolver o sistema no projeto “Manejo da Água” e lembra que o acesso à água de qualidade para todos continua sendo um desafio no Brasil. “Apesar de 75% do planeta Terra ser constituído por água, 97% dela não pode ser consumida por ser salgada e o restante ou está congelada ou concentrada no subsolo. Isso significa que os reservatórios que abastecem residências, indústria e agricultura correspondem a menos de 1% do total, sobrando pouco para consumo próprio”, complementa.

Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), mais de 35 milhões de pessoas ainda não têm acesso à água tratada e há uma perda média de 37% no sistema de abastecimento.

Miro de Oliveira, pedreiro capacitado pelo IPESA especialmente para a execução da construção dos biodigestores, também falou da experiência de integrar a equipe: “Esse sistema é uma das melhores soluções para o tratamento de esgoto onde não há saneamento, porque além de tratar ainda gera biogás, que podemos usar na cozinha. Isso sem falar que, depois do processo de tratamento do esgoto, ainda podemos usar a água como fertilizante. Sem dúvida é o melhor sistema, além do baixo custo. Eu aproveito ao máximo, uso o gás, o fertilizante e o lodo, como adubo”, disse.

E continuou: “A cartilha já era bem completa e assistindo o vídeo com a animação, não tem como errar. Qualquer pessoa consegue construir”, ressalta.

E foi justamente para que qualquer pessoa ou comunidade pudesse acessar e utilizar de maneira fácil, que o vídeo foi produzido no formato Tutorial. “Este vídeo tutorial é a concretização de uma vontade antiga de criar um produto audiovisual que possibilitasse a difusão e o acesso à produção dessas tecnologias de saneamento ecológico. O Brasil é um país gigantesco que tem grande carência de soluções de tratamento de esgoto, principalmente nas áreas rurais. Esperamos que esse seja apenas o primeiro de uma série de vídeos que mostre, na prática, a execução dessas soluções,”, disse Caio Ferraz, diretor da Meridiano Filmes, empresa responsável pela produção do material.

Matéria anteriorPPP da Iluminação já gera economia de mais de 39% de consumo de energia em Uberlândia, MG
Próxima matériaTrabalho de cartografia mapeia cerca de 120 iniciativas populares em defesa de três importantes rios

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 3 =