Expansão para o Rio de Janeiro gera economia ainda maior devido à crise hídrica e adesão das termelétricas; consumo em estações quentes será mais caro do que no inverno

A startup de energia renovável Flora Energia desembarca no Rio de Janeiro para fazer o abastecimento energético limpo e sustentável e reduzir a conta de luz. Enquanto em São Paulo a energytech consegue até 10% de economia, no estado fluminense o desconto é ainda maior, de até 17%. Com a crise hídrica e consequente aumento da bandeira tarifária pelas concessionárias, a dedução pode chegar a 26,5% na capital carioca.

“No Rio, o custo de energia (kWh) ao cliente é maior, por fatores como a maior perda no processo de distribuição. Além disso, há a isenção de ICMS nos Créditos de Energia provenientes da Geração Distribuída, então reduz o valor que deve ser pago à distribuidora e a Flora consegue entregar ainda mais economia na região”, aponta Roberto Cavalieri, um dos fundadores da empresa. O usuário não precisa fazer investimentos em instalações de painéis ou outras obras; basta fazer a adesão na plataforma digital e está apto a ter o abatimento na conta.

Canecas Personalizadas

Criada em 2020 e presente em mais de 300 municípios, a Flora chegou a 100% da capacidade no interior paulista. A startup funciona por meio do sistema de Geração Distribuída, em que fazendas sustentáveis produzem e injetam energia renovável na rede elétrica da concessionária local, recebendo créditos de energia que são, então, repassados a seus clientes em forma de desconto na conta luz. A distribuidora continua sendo a responsável pelo suprimento de energia – portanto, não há riscos adicionais de falta de energia – e envia a conta já com o valor reduzido. A Flora emite uma fatura à parte, referente ao consumo no mês – que é diretamente abatido da conta da concessionária. A soma das duas faturas é sempre menor que o modelo tradicional.

Os benefícios ao bolso se unem à redução do impacto ambiental: a Flora já evita a emissão de mais de 215 toneladas de CO2 na atmosfera por ano, consumindo energia limpa, o que significa um equivalente a mais de 10 mil árvores plantadas. “Criamos uma solução operacional, comercial e tecnológica exclusiva que possibilita atender de forma eficiente o cliente residencial. Além de uma maior oferta de energia renovável no mercado, possibilitamos a liberdade de escolha do consumidor – antes preso ao monopólio da concessionária de sua região”, diz Cavalieri.

Conta de luz permanece alta em estações quentes e tende a ficar mais cara

O imaginário coletivo é a de que se gasta mais luz no inverno, mas a previsão é a de que a conta de luz continuará alta mesmo nas estações mais quentes. “O perfil de consumo muda, mas não necessariamente se gasta menos. Se por um lado, o inverno tem maior gasto com o banho quente, aquecedores e luzes que são acesas mais cedo, devido ao anoitecer antecipado, no verão o aumento da consumação ocorre principalmente por maior uso de ar-condicionado, geladeiras e ventiladores, por exemplo”, lista o sócio-fundador da Flora Energia.

Com a crise hídrica, a fatura tende a vir ainda maior. Devido ao esvaziamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas, o governo tomou medidas emergenciais para garantir o fornecimento de energia e evitar o apagão, como o acionamento de mais usinas termelétricas, que têm custos mais elevados. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou o leilão para contratação de energia de reserva de maio a 2022 até dezembro de 2025, período cujos custos devem ser repassados aos consumidores. “Com a Flora, o cliente garante previsibilidade em seu gasto, mantendo o mesmo patamar da tarifa sempre, com proteção contra todas as variações de bandeira”, afirma Cavalieri, que recomenda o consumo consciente.

 

 

 

Matéria anteriorSolução brasileira de logística reversa inteligente é apresentada na COP26
Próxima matériaViva da transição verde: descarbonização de edifícios e sua construção

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez + seis =