Em parceria com o Alicerce Educação, a PG Advogados patrocina uma turma do projeto de orientação a jovens de comunidades menos favorecidas, entre 12 e 18 anos, do polo Santana de Parnaíba, para encontrarem sua vocação profissional. No total, 90 jovens serão beneficiados com este projeto que impulsiona a transformação social por meio da educação, contribuindo para a formação de cidadãos participativos e conscientes de seus direitos.

A desigualdade social, a baixa produtividade e a diversidade no Brasil apresentam uma grande lacuna no processo de aprendizagem no país. Inclusive, em Santana de Parnaíba, cuja população é de 131.887 habitantes, os dados do IBGE informam que 51,5% da população adulta não possui uma ocupação ou trabalho. Além disso, apenas 33% da população possui renda superior a 2 salários mínimos, o que indica um bolsão de pobreza na região.

Canecas Personalizadas

”A expectativa é que, em cinco anos, 4 milhões de jovens sejam impactados com esta iniciativa. A primeira turma iniciará em 2 de agosto deste ano e o início do processo de aprendizagem se dará pelo conceito introdutório de Direito e Cidadania”, afirma Paulo Batista, CEO do Alicerce Educação.

Segundo o sócio-fundador do PG Advogados, Ventura Pires, “a filosofia do escritório está alinhada ao Projeto Alicerce, pois acreditamos na educação como instrumento de transformação da sociedade. É por meio dela que garantimos o desenvolvimento social, cultural e econômico”, diz Ventura.

Eles também serão convidados a repensarem o seu projeto de vida, trilhando o seu caminho rumo à empregabilidade ou à universidade. Durante todo o projeto, os jovens terão aulas de linguagens e matemática, com o intuito de recuperar sua base educacional.

Para os estudantes que optarem pela empregabilidade, a proposta é o desenvolvimento de competências para estarem preparados para alcançar um emprego e o outro caminho é a preparação para o vestibulinho para ETECs ou o vestibular para o ingresso em universidades, com maior ênfase na aprendizagem.

Para se candidatar, o aluno deve, obrigatoriamente, residir em Santana do Parnaíba; ter entre 12 e 18 anos e apresentar situação de vulnerabilidade social.

Matéria anteriorConstrutora lança hub de inovação e aceleração
Próxima matériaConstrução Civil: certificações de sustentabilidade ganham relevância no setor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + dezesseis =