Material processado e pronto para reciclagem.

Geocycle, empresa da LafargeHolcim, transforma em combustível rejeitos de borracha provenientes do processo de fabricação de calçados e materiais esportivos

 

Alinhada às melhores práticas de desenvolvimento sustentável, a Geocycle, empresa da LafargeHolcim, apoiou a Alpargatas, por meio de uma parceria para destinação de seus resíduos utilizando a técnica de coprocessamento, a conquistar a meta Aterro Zero. Desde 2019, quando começou a parceria, 8 mil toneladas de rejeitos de borrachas e resíduos industriais foram transformadas em combustível. O volume coprocessado é equivalente a cerca de 22 milhões de pares de sandálias Havaianas, o suficiente para calçar toda a população de Portugal e Bélgica.

Canecas Personalizadas

Com a parceria, os rejeitos de borracha e resíduos industriais da Alpargatas são pré-processados em trituradores e posteriormente utilizados como combustível alternativo nos fornos de cimento da LafargeHolcim, por meio da tecnologia do coprocessamento. O processo segue altos padrões de controles operacionais e ambientais. Além de eliminar definitivamente os resíduos que seriam destinados a aterros sanitários, essa ação contribui para economia circular, redução na utilização de combustíveis fósseis e redução de emissão de CO2. “Temos muito orgulho dessa parceria, pois conciliamos nossos princípios e valores de desenvolvimento sustentável com a realização de uma ambição, um sonho, do cliente”, ressalta Juliano Menezes de Melo, gerente geral da Geocycle.

“A parceria com a LafargeHolcim nos permite destinar corretamente os resíduos de borracha, que não são possíveis reaproveitar no processo de produção ou reciclar para transformar em outro produto. Já foram coprocessados mais de 8 mil toneladas e nossa intenção é aumentar cada vez mais a parceria, que é excelente para o meio ambiente e contribui para o projeto de zero aterro industrial da empresa”, diz Flávio Amorim, diretor de segurança, saúde e meio ambiente na Alpargatas.

Matéria anteriorApague a luz
Próxima matériaO ESG sendo acelerado pela tecnologia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × 1 =