Seguindo as ações de sustentabilidade global da matriz, unidade de Mogi Mirim (SP) atinge meta e reduz impactos ambientais

A Monroe Amortecedores concluiu em 2021, na fábrica de Mogi Mirim, o projeto Aterro Zero, atingindo a marca histórica de 100% de reaproveitamento do descarte de resíduos produzidos pela unidade. Considerando a vida útil dos aterros sanitários e os impactos ambientais, como o vazamento de líquidos e gases que podem contaminar os lençóis freáticos e aquíferos, a Monroe iniciou em 2018 o projeto. A sua finalidade é dar um destino ecologicamente correto aos resíduos produzidos, não os destinando mais a aterros sanitários e, sim, para práticas de reuso.

A implantação do conceito Aterro Zero é mais uma ação desenvolvida para o progresso da sustentabilidade global da empresa. A Tenneco está comprometida em minimizar o impacto ambiental de suas operações, por meio da eficiência energética e do fornecimento de energia renovável.

Atualmente, com a contratação de empresas especializadas, todo o descarte de banheiro e varrição são transformados em pó para serem utilizados na indústria siderúrgica como combustível e o material orgânico, como do restaurante, é destinado a compostagem e vira adubo. Já os entulhos de obras são reciclados e tornam-se britas e pedregulhos para serem novamente utilizados na construção.

De acordo com o Relatório Anual de Sustentabilidade da Tenneco, intitulado “Making Tomorrow Better”, em 2020, a matriz relatou uma redução de 2,9% na intensidade das emissões de gases de efeito estufa (GEE) e uma redução de 4,8% na intensidade de energia em toda as operações ao redor do mundo.

“Essa é uma marca histórica para a nossa unidade que tem o compromisso diário em garantir a excelência na gestão ambiental. Sustentabilidade é a chave para a excelência operacional e reforça o nosso valor corporativo. O Projeto Aterro Zero contribui para a preservação do meio ambiente e, consequentemente, para um mundo melhor para a nossa sociedade”, ressalta Alexandre Vidal, Plant Manager da DRiV.

 

Matéria anteriorCacau Sustentável da Amazônia une Brasil, Colômbia e Peru
Próxima matériaEmpresas se unem a ESALQ-USP para reinventar a agricultura do futuro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × três =