Novos programas de certificação e reciclagem para o consumidor fazer uma escolha informada e consciente

De acordo com um estudo recente da Mastercard, 85% dos consumidores brasileiros estão mais atentos ao seu impacto no meio ambiente – globalmente este índice é de 58%, com em média 75% deles dispostos a tomar medidas pessoais para reduzir suas emissões de carbono este ano.

Por isso, a Mastercard buscou uma maneira de tornar esse compromisso mais fácil de ser cumprido pelos consumidores, com seu novo emblema para identificar cartões feitos de forma mais sustentável – produzidos a partir de plásticos recicláveis, reciclados, de origem biológica, sem cloro, degradáveis ou oceânicos. Fácil de localizar no cartão, o selo é um lembrete dos compromissos assumidos pela companhia no que diz respeito à sustentabilidade.

Canecas Personalizadas

“O aumento da preocupação dos consumidores em relação ao meio ambiente faz com que eles consequentemente cobrem as marcas para que se comportem de maneiras mais sustentáveis e ecologicamente corretas. No entanto, colocar isso em prática em cadeias de suprimentos estendidas, com diversos parceiros e clientes, pode ser mais complicado do que definir uma meta para as companhias”, afirma Estanislau Bassols, gerente geral da Mastercard Brasil. “Já com este selo, incluindo as certificações e programas de reciclagem, temos uma chance maior de endereçar cada uma dessas questões e levar confiança para a escolha mais sustentável, à medida que avançamos em direção a uma economia mais circular”, explica.

O Diretório de Materiais Sustentáveis da Mastercard, criado ano passado, tem como objetivo ajudar os emissores a fornecerem cartões mais ecológicos aos consumidores. Mais de 100 instituições financeiras – dentre as quais o Banco Santander e o Starling Bank – oferecem programas de cartões sustentáveis Mastercard em mais de 30 países.

Produzir estes cartões com materiais mais sustentáveis é um passo importante no avanço das medidas em prol do meio ambiente, globalmente e a longo prazo. Para ampliar o impacto desses esforços, a Mastercard e a Giesecke+Devrient (G+D) desenvolveram um novo programa que ajuda os consumidores a reciclarem seus cartões de forma rápida, fácil e segura.

Como funciona o programa de certificação e reciclagem

Os cartões que possuem o selo sustentável serão verificados por um programa de certificação independente – o primeiro desse tipo que avalia as premissas de sustentabilidade. A partir de benchmarks atuais do setor, os cartões serão certificados caso reduzam significativamente o consumo de energia, de materiais, a pegada de carbono e o desperdício. À medida que os níveis gerais de sustentabilidade aumentarem, os benchmarks melhorarão a cada ano, consecutivamente, impulsionando a contribuição de uma gestão ambiental melhorada.

A Mastercard e a G+D fornecerão um conjunto de soluções de reciclagem que podem ser otimizadas para emissores e mercados, baseados na Greener Payments Partnership (GPP) – formada em 2018 com o objetivo de reduzir o volume de plásticos de PVC na fabricação de cartões.

“A visão que temos para a nossa oferta de sustentabilidade vai além da produção de um cartão ecológico”, explica Mikko Kähkönen, responsável pelo portfólio de cartões inteligentes na G+D. “Nosso objetivo é oferecer aos nossos clientes dos bancos todos os serviços de que precisam para implementarem sua própria estratégia de sustentabilidade e para enfrentarem os desafios do setor, como a reciclagem desses cartões. Um número cada vez maior de consumidores ecologicamente corretos está exigindo da G+D, dos bancos e dos líderes do setor – como a Mastercard -, que colaborem com essas soluções para servirem às futuras gerações e proteger nosso meio ambiente de forma mais inteligente”, finaliza.

Ajudando os consumidores a contribuírem com o futuro do planeta

Com a crescente preocupação dos consumidores pelo meio ambiente, a Mastercard continua a desenvolver produtos e programas que os ajudem a contribuir para o futuro do planeta, apoiando uma economia digital inclusiva e sustentável.

Em 2020, a Mastercard criou a Coalizão Planeta Priceless, que reúne os esforços de comerciantes, bancos, cidades e consumidores para restaurar 100 milhões de árvores e ajudar no combate às mudanças climáticas (incluindo 2 milhões de árvores em uma área na Bacia Amazônica). A empresa também lançou – em colaboração com a fintech sueca Doconomy – a calculadora de carbono Mastercard, que permite aos bancos fornecerem para os consumidores dados e insights sobre o impacto do carbono de seus consumos, incluindo maneiras fáceis e práticas para contribuírem com o reflorestamento por meio da Coalizão Planeta Priceless.

 

Matéria anteriorPara atingir pegada de carbono negativa até 2030, empresa de tecnologia adota bikes elétricas
Próxima matériaQuatro maneiras de transformar lixo em dinheiro e praticar solidariedade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um + nove =