Os investidores podem aplicar a partir de R$ 10,00, com o retorno de 8% ao ano, 155% do CDI, e repagamento em 24 meses

A SITAWI Finanças do Bem abriu uma nova rodada da Plataforma de Empréstimo Coletivo SITAWI, com foco no desenvolvimento de negócios de impacto socioambiental positivo. Esta será a sexta captação realizada na Plataforma, que atua desde 2019 nessa modalidade de investimento. 

Pela primeira vez, a SITAWI realizará uma rodada de investimento com somente um negócio selecionado, a Guaraci Agropastorial, que contribui para 5 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

“Mantendo nossa proposta de ampliar o acesso a investimento de impacto, definimos o investimento de entrada nessa rodada de R$10,00 entendendo ser essa uma forma racional de democratizar a base de investidores de impacto” destaca Leonardo Letelier, CEO da SITAWI. A rodada será realizada por meio da plataforma Mova, 1º organização no Brasil, aprovada pelo Banco Central, a ser reconhecida como Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) e poderá ser acessada na página www.emprestimocoletivo.com.br

Em 2007, Luis Fernando Laranja da Fonseca funda a Santa Andrea Agropecuária, que se torna pioneira no Sistema tipo Compost Barn no Brasil e no Sistema de cruzamento de raças leiteiras. Em 2017, Luís Fernando Laranja assume o compromisso de produzir leite orgânico tendo como ponto de partida o rebanho da Santa Andrea. A partir dessa decisão é fundada a Guaraci Agropastoril. 

A Guaraci inicia sua produção aplicando o modelo de produção que integra Pecuária, Agricultura e Florestas, denominado Sistema Agrosilvopastoril modelo produtivo baseado na agricultura regenerativa, com integração de lavoura, pecuária e florestas produz um alimento nobre, com retorno econômico e impacto socioambiental positivo. As premissas para a implantação do Agrosilvopastoril envolvem o manejo integrado, liberdade e conforto para os animais, desmatamento zero, produção neutra em carbono, alimento saudável, proteína animal de alta qualidade, apoio, treinamento e geração de renda para os parceiros fornecedores (agricultores de pequeno porte), transparência e mercado justo.

Em 2019, Guaraci passa a ser o fornecedor de leite da Danone e em 2020, decide desenvolver marca própria e cria a “NoCarbon”  e a família de produtos composta por leite pasteurizado (integral e desnatado), queijo minas frescal, queijo minas padrão, queijo ricota, manteiga e creme de leite. 

Atualmente, a Guaraci conta com certificados importantes, que chancelam a qualidade dos seus produtos, com o Certificado Orgânico do IBD – a maior certificadora de produtos orgânicos e sustentáveis da América Latina;  Certified Humane – Raised & Handlend, que certifica que o alimento é proveniente de instalações que cumprem com padrões específicos de tratamento de animais de produção e carbon free, certificação dada às empresas cuja as emissões de carbono são neutralizadas com o plantio local de árvores nativas.

 O mercado de leite orgânico no Brasil

Estudo prospectivo, realizado pela Embrapa em 2020, sobre a pecuária leiteira orgânica nacional traçou um raio X do setor, a partir de 39 das 96 unidades de produção orgânica.  O resultado identificou que os rebanhos dessas unidades são compostos predominantemente de animais Holandês-Gir, Holandês-Jersey e Jersey. A área média das propriedades é de 270 hectares (mínimo de três ha e máximo de 2.980 ha), com área média dedicada à pecuária orgânica de 81,5 ha. Já a produção/dia é, em média, de 930 litros (variando de 60 L/dia a 5.000 L/dia); a produção média/vaca: 14 l/dia. O tamanho  médio dos rebanhos gira em torno  78 vacas (variando de cinco a 310 vacas), sendo 57 vacas em lactação.

O pastejo rotacionado compreende 89% das fazendas. Para 72% dos produtores entrevistados, a atividade leiteira orgânica representa a principal fonte de renda, enquanto 34% dos produtores realizam outra atividade orgânica além da produção de leite (olericultura, produção de café e milho).

Sobre a SITAWI e sua plataforma

Por meio da Plataforma de Empréstimo Coletivo SITAWI, qualquer pessoa pode investir nos negócios de impacto positivo que participam da rodada. A plataforma atua no modelo peer-to-peer lending, categoria que permite, de forma digital, a transferência de recursos financeiros de uma pessoa diretamente para outra pessoa ou empresa — uma categoria cada vez mais buscada por investidores interessados em acompanhar os seus investimentos e gerar impacto positivo. 

O empréstimo proporciona — além do impacto positivo, alinhado à causa e valores dos investidores — uma rentabilidade equivalente a 8% ao ano.

A Plataforma tem vantagens numa via de mão-dupla, uma vez que oferece ao empreendedor financiado condições melhores de juros em relação ao modelo tradicional de empréstimo disponível no mercado. Os empreendedores também recebem apoio técnico e consultoria da SITAWI, e parceiros, durante todo o período do empréstimo. Antes de serem selecionados, os empreendedores inscritos, para pleitear o financiamento pela plataforma da SITAWI passam por um criterioso processo de diligência a fim de mensurar sua capacidade de endividamento, projeção de liquidez e validação do impacto socioambiental positivo. Essa assessoria se mantém durante todo o período de contratação do empréstimo, com o corpo técnico da SITAWI voltado para o desenvolvimento do negócio, assim como a atenção ao impacto proposto no momento da contratação dos recursos. 

 Como Investir na Plataforma de empréstimos coletivos

Após um período inicial de 3 meses de carência, os investidores recebem o valor do investimento durante 21 meses, com o pagamento de parcelas mensais referentes ao principal mais os juros. Toda a operação é realizada em parceria com a MOVA, a primeira fintech de Peer-to-Peer Lending aprovada e supervisionada pelo Banco Central na forma de Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP). A SEP cria uma ponte direta entre investidores e quem busca financiamento, eliminando a necessidade de um banco e cortando custos. A Oficina de Impacto é a consultoria e agência de comunicação para negócios de impacto social e o TozziniFreire é o fornecedor oficial de apoio jurídico da rodada. Ao longo do contrato, os investidores recebem informações atualizadas, como o monitoramento e um relatório do impacto socioambiental dos negócios investidos, suas finanças e negócios.

A plataforma de empréstimo coletivo é realizada pela SITAWI e tem como parceiro estratégico o Instituto Sabin.  

Previous articleQuatro maneiras de transformar lixo em dinheiro e praticar solidariedade
Next articleLíder mundial de bebidas anuncia compromisso de alcançar Impacto Hídrico Positivo até 2030

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × quatro =