Veroo investe no selo EuReciclo 

A forma como os brasileiros consomem café mudou bastante nos últimos anos, do coador de pano até a máquina para cápsulas, que surgiram como uma opção prática e saborosa, garantindo diversidade ao paladar. Mas, o novo modelo trouxe um desafio para seus consumidores e também para as empresas que fornecem o produto: o que fazer com todas as cápsulas de café utilizadas?

Canecas Personalizadas

A Veroo, marca nativa digital que opera inicialmente o clube Veroo de assinatura de cafés especiais, se preocupou com o assunto e aderiu ao selo EuReciclo, ou seja, ela destina recursos à cadeia de reciclagem, por meio da compensação ambiental de pelo menos 22% das suas embalagens, conforme previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

“Com a EuReciclo, nós da Veroo conseguimos trabalhar com o conceito da compensação ambiental e da logística reversa com lastro em notas fiscais, além disso, estimulamos toda a cadeia de reciclagem”, afirma Gabriel Barruffini, fundador e CEO da Veroo.

A compensação ambiental é inspirada em um modelo europeu de incentivo à cadeia de reciclagem. Ela garante a reciclagem de uma quantidade de material equivalente a uma determinada embalagem. Sendo assim, suponhamos que a Veroo coloque uma cápsula de café no mercado. Na compensação ambiental, essa cápsula não será reciclada, mas sim dois materiais equivalentes, de peso equivalente, ou seja, é possível reciclar duas cápsulas idênticas em peso e material. O importante é que o impacto negativo da embalagem está sendo compensado do meio ambiente e que a cadeia de reciclagem está sendo valorizada e incentivada pela empresa nesse processo.

Ao adotar o selo, a Veroo investe em recursos que, via EuReciclo, são destinadas à cadeia de reciclagem pelas empresas, além de formalizar e valorizar seus agentes, também cria incentivos para que, no médio e longo prazo, o setor aumente seu potencial e as taxas de reciclagem no país se elevem. Os investimentos são usados nas maiores necessidades desses parceiros, como: no aumento da capacidade, com a compra de equipamentos, veículos e contratação de mais funcionários; nas despesas gerais de coleta, salários, estrutura, equipamentos de segurança; ou em melhorias das instalações.

O papel do consumidor

O consumidor tem um papel essencial na reciclagem de cápsulas – e também de outros resíduos. Tudo o que consumido exige o uso de recursos naturais, que em muitos casos podem voltar ao ciclo produtivo por meio da reciclagem. Por outro lado, quando o consumidor não faz sua parte, esses resíduos escapam para a natureza e poluem o meio ambiente, com consequências gravíssimas.

Gabriel lembra que os resíduos hoje são uma fonte de renda. “A gente precisa sempre tentar dar a destinação correta para o nosso lixo. As cápsulas são muito práticas, mas esse lixo pode virar um problema. Precisamos pensar no que devemos fazer após o nosso consumo, que é dar a destinação correta. Cada um de nós precisa fazer sua parte”, explica.

Devolver suas cápsulas usadas para a reciclagem é uma contribuição cidadã que auxilia para a economia circular e fomenta a cadeia da reciclagem, permitindo que os resíduos retornem ao ciclo produtivo na forma de matéria-prima. Por outro lado, se o lixo é descartado de modo incorreto, ele vira apenas isso: lixo, um material sem valor e que polui o meio ambiente, com graves impactos para todo o sistema de saúde e saneamento.

Matéria anteriorBrasil pode deixar de emitir 48 milhões de toneladas de CO2 por ano com Usinas de Recuperação Energética
Próxima matériaABES, ReUrbi e Observatório do Terceiro Setor, com o apoio da Weber Shandwick, lançam mobilização para redução da desigualdade no Brasil 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × um =